Contexto da palha de cana no Brasil: atuação do Projeto SUCRE

Contexto da palha de cana no Brasil: atuação do Projeto SUCRE Por Suleiman Hassuani e Viviane Celente   Começando no Brasil no início no século XVI, a cultura da cana-de-açúcar era inicialmente colhida manualmente, a partir da queima da cana. O processo da queima, de forma sistemática e controlada, tornou-se uma operação necessária para facilitar o trabalho…

Manuseio da Palha para Cogeração

Uso da palha de cana-de-açúcar para cogeração de energia: questões fundamentais do Projeto SUCRE

Uso da palha de cana-de-açúcar para cogeração de energia: questões fundamentais do Projeto SUCRE Por Régis Leal, Paulo Graziano, Thayse Hernandes e Henrique Franco   A importância da palha de cana-de-açúcar como componente energético começou a ser percebida de forma organizada a partir de meados dos anos 1990, devido principalmente aos trabalhos de instituições como…

Custos de recolhimento da palha

O Brasil tem a cultura de cana-de-açúcar como principal fonte de biomassa para produção de energia. Além do açúcar e do etanol, a cana-de-açúcar possibilita a cogeração de energia elétrica através da queima do bagaço e, mais recentemente, da palha nas caldeiras. A cana-de-açúcar produz em torno de 140 kg (base seca) de palha por tonelada de colmo. A região Centro-Sul produziu 571 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2014/2015, com 93,6% de colheita mecanizada, segundo dados da UNICA.

CTBE dá início ao Projeto SUCRE

O Projeto SUCRE (Sugarcane Renewable Electricity) tem como objetivo principal aumentar a produção de eletricidade com baixa emissão de gases efeito estufa (GEE) na indústria de cana-de-açúcar, por meio do uso da palha produzida durante a colheita. Para isso, o CTBE atuará junto à União da Indústria de Cana-de-açúcar (UNICA) e a quatro usinas parceiras que recolhem palha para gerar eletricidade para desenvolver soluções que elevem tal geração à plenitude da tecnologia disponível.